Violeta



Origem: Europa, África e Ásia Ocidental

Altura: 20 a 25 cm

Uso: medicinal, ornamental


Uma grande variedade de plantas são conhecidas com o nome de violeta. A Viola odorata é uma delas. Pertencente à família das Violáceas, muitas vezes é confundida com a violeta africana, muito comum como planta ornamental, porém, a violeta odorata possui uma característica marcante que a difere da violeta africana: seu perfume. É também conhecida pelos nomes de violeta perfumada, violeta comum ou violeta de jardim.



HISTÓRIA


Como dito acima, no Brasil, a violeta mais difundida é a africana que, na verdade, não é uma Viola. Seu nome científico é Saintpaulia ionantha, que pertence à família Gesneriaceae. Acredita-se que seja originário da Europa, mas é encontrada naturalmente na África e Ásia ocidental. Hoje é cultivada em praticamente todo o mundo.

Seu habitat natural são os bosques e as zonas sombreadas e úmidas.

Os romanos utilizavam suas flores para fabricar vinhos. Também faziam coroas de flores para aliviar dores de cabeça e tonturas.

Heliogábalo, imperador romano da Dinastia Severa entre os anos 218 e 222, era um grande amante de violetas. De acordo com historiadores, ele tomava banho com infusão destas flores. Além disso, pétalas de violeta também eram utilizadas para preparar seu prato favorito e serviam, também, para decorar o palácio onde morava.

Apesar de pouco conhecida no Brasil, é muito popular na Europa, na Inglaterra é conhecida como Sweet Violet e na França como Violette Odorante, inclusive a cidade de Toulouse, tem como símbolo uma flor violeta, em alusão a esta flor que é muito usada em sua culinária e perfumaria. A violeta era o símbolo da deusa Atenas e foi uma das flores favoritas de Napoleão.


USO


A Viola odorata possui em sua composição alfa-ionona, beta-ionona, beta-sitosterol, eugenol, acido ferúlico, kaempferol, ácido málico, salicilato de metila, ácido palmítico, quercetina, rutina, escopoletina e vanilina.

No século XV era muito cultivada nos mosteiros para uso medicinal e alimentício.

Na medicina popular era indicada para uma grande variedade de enfermidades. O chá de suas flores e raízes era usado para combater problemas respiratórios, melhorar a digestão, acalmar desordens de pele e também como auxiliar em processos de ansiedade e insônia. O macerado das flores possui indicação para limpeza dos brônquios e combate inflamações de nariz e garganta,

O chá da folha era utilizado como um laxante moderado e também para aliviar irritações e inflamações no peito, pulmão, pele, garganta e língua. Topicamente, são aplicadas compressas ou cataplasmas em cistos na mama e na pele. Também pode ser aplicada na parte de trás do pescoço um pano saturado em chá de viola para aliviar dores de cabeça. Usada em forma de papa em calos e verrugas. Em forma de gargarejo para dores de garganta.

Em 1829, um médico alemão chamado M. Staptf começou a estudar o uso da violeta na homeopatia como tratamento para dores de ouvido, sinusites e reumatismos.

O aroma desta espécie de Viola se deve à presença de uma classe de substâncias chamadas iononas. Estas substâncias foram isoladas das violetas por Tiemann e Kruger em 1893. Seu perfume doce-amadeirado-floral passou a ser muito cobiçado por perfumistas de todo o mundo. Dentro da perfumaria, são feitos aromas tanto de suas flores quanto de suas folhas que possuem perfume suave porém intenso de grama aparada.

Suas flores são comestíveis e muito utilizadas na confeitaria.



REZA A LENDA


A Violeta é uma flor muito citada em mitologias, lendas e com muitos usos mágicos.

Na mitologia grega ela representava o amor de Zeus e Io. Hera, esposa de Zeus, por ciúmes, transforma a sacerdotisa em ovelha e Zeus então cria as violetas como uma forma de dar alegria a sua amada nos pastos. Por isso foi vista como afrodisíaca e também como símbolo de fertilidade. Além disso, em Atenas, a flor era utilizada para adoçar alimentos.

Reza a lenda que havia um rei na Inglaterra chamado de Rei Frost (frio, gelado). Em seu reinado sempre frio em um inverno rigoroso durante todo o ano e a população, sem recursos para se aquecer, padecia com o frio excessivo que o rei lhes impunha. Frost, em seu palácio, apreciava a paisagem gelada.

Seu coração era gelado como a paisagem, ele não tinha amigos ou familiares e se encontrava sempre em uma grande solidão. Seus súditos não lhe admiravam nem lhe queriam bem.

Como rei, chegou um momento em que achou que tinha que arrumar uma esposa para ser sua rainha e lhe dar herdeiros.

Como não tinha amigos nem vizinhos de reino que lhe admirasse, precisou enviar um grupo de servos para procurar uma pretendente para ele. Ele pediu que encontrassem uma mulher bonita, mas também carinhosa e paciente, pois até ele sabia que não era fácil lidar consigo mesmo.

Os homens andaram por muitos dias sem sucesso, pois nenhuma jovem queria se casar com um rei tão frio. Após andarem muito chegaram a uma vila distante que possuía um clima primaveril, com ruas enfeitadas de flores. Encontraram lá uma jovem, muito tímida, mas também muito bela, humilde, delicada e caridosa.A jovem se chamava Violeta e aceitou se casar com o frio rei.

Este, ficou imediatamente apaixonado pela moça. Casaram-se e a ternura de Violeta aqueceu o coração gelado deste homem, que se derreteu como a neve ao calor do sol da primavera. Frost tornou-se outro homem. Seu novo coração sentia pelos seus súditos e ele decidiu que não seria mais inverno durante todo o ano e, quando fosse, seria um inverno ameno e tranquilo de se passar. Frost transformou-se em um homem feliz com a sua Violeta e sua felicidade transbordava em bondade, humildade e delicadeza com o próximo.

No entanto, Violeta sentia saudades de sua família e de seu distante povoado, tendo pedido ao marido para lhe permitir visitá-los durante alguns meses por ano. Frost atenderia ao seu pedido, com uma condição: voltaria durante os meses quentes do ano, e sob a forma de uma linda flor. A moça aceitou e, desde então, durante a primavera, floresce como as lindas violetas que conhecemos, retornando como rainha durante o inverno, para o seu marido.



CARACTERÍSTICAS

Reino: Plantae

Ordem: Violales

Família: Violaceae

Gênero: Viola

Folhas arredondadas, levemente serrilhadas e com pecíolo fino, saindo diretamente do estolão.

Flores em hastes longas, perfumadas, com cinco pétalas, duas das quais são eretas, nas cores violeta escuro e brancas. Ficam na grande maioria das vezes escondidas pela folhagem. Surgem durante o inverno e primavera.



REFERÊNCIAS

https://www.floreseflores.com.br/index.php/curiosidades-sobre-flores/historia-das-violetas/

https://www.floreseflores.com.br/index.php/curiosidades-sobre-flores/voce-ja-conhece-a-lenda-da-violeta/

https://monografias.ufop.br/bitstream/35400000/1468/1/MONOGRAFIA_PlantasFarmaciaSagrado.pdf

http://aromaterapiaquantica.blogspot.com/2017/08/oleo-essencial-de-violeta-abs-viola.html

Violeta perfumada - Viola odorata - Flores e Folhagens

https://www.floresefolhagens.com.br/violeta-perfumada-viola-odorata

Fadas Cristais: A linguagem das flores - Violeta

Violeta: benefícios e propriedades medicinais - Medicina Natural

https://aloucadosperfumes.com/2014/08/20/violeta-viola-odorata/


© Copyright