Orquídea



Origem: diversas

Tamanho: até 6 metros

Tipo: em sua maioria epífitas

Uso: ornamental, culinário, estético, cosmético e medicinal.


Orquídeas são todas as plantas que compõem a família Orchidaceae, pertencente à ordem Asparagales, uma das maiores famílias de plantas existentes. Apresentam muitíssimas e variadas formas, cores e tamanhos e existem em todos os continentes, exceto na Antártida, predominando nas áreas tropicais.


HISTÓRIA

O nome tem origem grega, na palavra “orkhis”, que significa testículo devido ao formato das pequenas túberas duplas que as espécies mais antigas apresentavam. A família Orchidaceae é considerada a maior e mais diversificada de todas as plantas florais, com mais de 25 mil espécies observadas até agora. E todo ano esta lista aumenta com cerca de 300 novas espécies sendo encontradas e catalogadas. Além das espécies selvagens, ainda existem mais de 100 mil orquídeas híbridas cultivadas por especialistas.

A história desta planta é muito antiga, até pouco tempo se estimava que tinha tido seu início por volta de 4000 anos atrás, na China e no Japão. Mas estudos mais recentes encontraram, na República Dominicana, grãos de pólen de orquídea em uma abelha presa em âmbar, datadas em 20 milhões de anos! Outros vestígios fósseis foram encontrados, datando do período entre o Jurássico, da era Mesozoica (de 195 a 136 milhões de anos), e o período Cenozóico (64 milhões de anos).

Não se sabe ao certo quando os homens começaram a cultivar as plantas, nem se foi para fins estéticos ou medicinais, provavelmente, na costa do Mar Mediterrâneo, onde Orchis e Ophrys são nativas ou, então, na China, com o Homem de Pequim. A palavra Ian, que significa orquídea em chinês, aparece em manuscritos do imperador Sheng Nung e, também, em poemas de Confúcio.

Os primeiros registros ocidentais sobre a flor, aparecem na Grécia pelo filósofo e naturalista Teofrasto, discípulo de Aristóteles, cerca de 300 a.C. Teofrasto é considerado o pai da Botânica. Teofrasto usa a palavra “orchis” para denominar certas espécies, mas não se sabe se ele foi o primeiro a dar esta denominação. Já Dioscorides, cirurgião do exército romano, foi o primeiro a estudar e registrar as funções medicinais de duas espécies de orquídeas.

Muitos povos antigos consideravam algumas espécies desta planta como sagradas e atribuíam a elas poderes místicos e sagrados.

De lá para cá, muitos estudos foram feitos e muitas novas espécies catalogadas, fazendo desta família uma das mais populares do mundo das plantas, sendo cultivadas em praticamente todo o mundo, com exceção dos árticos.

É surpreendente como, através de cheiros e formas, essa família vegetal se aproxima dos animais!


USO

A orquídea é uma planta muito apreciada pela beleza e variedade de tipos, cores e perfumes, sendo usada como ornamento em vasos e jardins.

As favas da espécie Vanilla planifolia dão origem à baunilha tão usada na culinária refinada.Na região do cerrado brasileiro encontramos outra espécie a Vanilla edwalli, que tem tido grande procura por ter grande semelhança a Vanilla planifolia.

O extrato das flores é rico em mucilagens, minerais, vitaminas e antioxidantes, sendo muito usado em produtos para a pele com função de prevenir o envelhecimento precoce, hidratantes e nutritivas. Para os cabelos fornecem brilho e tonifica o couro cabeludo.

Existem variados estudos sobre os benefícios das orquídeas para a saúde, mas é preciso estar atento à espécie, já que o número de espécies é muito grande e nem todas têm as mesmas propriedades.

Alguns estudos demonstram grandes benefícios para o sistema reprodutor, regulando ciclos menstruais e, também, aumentando a libido.

Algumas espécies possuem substâncias que ajudam a regular a tireóide, controlando a produção de hormônios.

Algumas folhas e sementes de orquídeas são ricas em quercetina, astragalina, isoquercetina, gluoconoóxido de Fósforo, aminoácidos e alcaloides que estimulam a atividade celular. A antocianina, a nutina, a apigenina também estão presentes na planta e auxiliam na dissolução de coágulos sanguíneos.


REZA A LENDA

A lenda de Hoan Lan

Conta-se que na cidade de Anam (provavelmente seria o Vietnã nos dias de hoje) vivia uma belíssima jovem chamada Hoan Lan, que era adorada por muitos homens. Um deles, chamado Kien-Fu, trabalhou com grande paciência e produziu as mais belas peças de jade e ouro, e a presenteou, esperando ter seu amor correspondido. No entanto, ela se encantou com as peças para em seguida desprezá-lo, assim como fazia com todos os homens: aproveitava-se da paixão deles para depois agir com frieza e desprezo. O que levou o pobre homem a tirar a própria vida jogando-se no Rio Vermelho

O poderoso Deus das Sete Flechas, que a tudo via, decidiu que era hora de castigar a maldade de Hoan Lan e fez com que ela se apaixonasse perdidamente por Mun-Say, homem que não se importava com a beleza de Hoan Lan.

Após o feitiço fazer efeito, a jovem não sabia o que fazer para ter seu amor correspondido e, desesperada, acabou encontrando com uma bruxa de pés de cabra. A bruxa fez uma proposta para vingá-la pelo desamor de Mun-Say: que ela desse sua alma em troca de que se ele não se apaixonasse por ela, não se apaixonaria por nenhuma outra mulher. Se sentindo magoada e ressentida, ela aceitou.

Assim que se encontrou com Mun-Say o abraçou acreditando ter seu amor correspondido. Mas o feitiço o transformou em uma árvore, desta forma a bruxa cumpriu o que prometeu fazendo com que o homem não se apaixonasse por mais ninguém.

Hoan Lan pediu que a bruxa desfizesse o feitiço, em vão. Ela então abraçou a árvore e lá permaneceu por tanto tempo que despertou a compaixão de um poderoso gênio, que decidiu protegê-la antes que a bruxa levasse a alma dela.

Colocando a mão sobre a testa da jovem apaixonada e arrependida, o gênio concedeu-lhe o perdão por tudo o que fez, e prometeu que faria com que a bela jovem não se separasse do amado nunca mais. Com um feitiço a transformou em uma flor que correspondia àquilo que Hoan Lan tivera sido ao longo de sua vida: requintada e bela, porém caprichosa e volúvel. Os braços dela se tornaram raízes, que abraçariam a árvore para sempre e assim a manteve unida ao amado. Surgindo, assim, a primeira orquídea.


CURIOSIDADE

As orquídeas, com um número tão grande de espécies, guardam muitas e variadas curiosidades:

Existe uma espécie brasileira, nativa da região do cerrado mineiro chamada Epidendrum scalares que pode chegar a 6 metros de altura.

A espécie Oncidium Sharry Baby 'Sweet Frangrance tem cheiro de chocolate. Aliás, tanto o perfume quanto a aparência das orquídeas são produzidas para atrair insetos específicos responsáveis por suas polinizações.

Quer saber mais sobre o cultivo dessas maravilhas? Dê uma olhada neste vídeo: Orquídeas


CARACTERÍSTICAS

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Liliopsida

Ordem: Asparagales

Família: Orchidaceae

Como são muitas e variadas espécies, não há uma única descrição botânica para a planta. No entanto algumas características são comuns a todas elas:

São plantas simétricas, ou seja, se colocadas em pé, o lado esquerdo é igual ao esquerdo.

Suas flores possuem duas pétalas, normalmente, localizadas nos cantos superior direito e esquerdo e 3 sépalas, uma no centro superior, uma no canto inferior direito e uma no esquerdo. Possui 1 labelo no centro inferior.

As plantas crescem indefinidamente, sem ter um tempo de vida máximo.

Apesar das plantas pequenas serem muito frágeis e muitas da mudas não chegarem a se tornar plantas adultas, uma vez crescidas, apresentam uma resistência muito grande às adversidades e possuem flores de tamanhos e formas interessantes, com cores variadas, e normalmente com boa duração.


REFERÊNCIAS

A história das orquídeas - orquideas.eco.br em 21/06/2022

Orquídeas é bom para quê? para que serve, benefícios e malefícios | Dr. Saúde (saudedr.com.br)

Orquídeas são aliadas naturais da medicina para tratamentos do corpo e da mente - Uai Saúde

A Lenda da Orquídea - Sítio Kolibri - Phalaenopsis (sitiokolibri.com.br)

9 curiosidades sobre Orquídeas que não fazia ideia (agriloja.pt)

Orquídea – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)