Dia do Curupira

Quem nunca ouviu falar do Curupira?

Ser mitológico do folclore brasileiro conhecido em todo o Brasil, mas especialmente famoso na região norte.


É um ser controverso e nem sempre é visto com bons olhos, principalmente por quem ameaça a floresta. Alguns dizem que ele apenas persegue os caçadores que caçam por diversão e que respeita quem caça para se alimentar. A história conta que ele se transforma em vários animais e faz os caçadores o seguir até que ficam perdidos na mata, outros dizem que ele usa um porrete de madeira para surrá-los, podendo até matá-los.


Sua descrição varia de acordo com a região, alguns detalhes, no entanto, aparecem comumente, como os pés virados para trás, artimanha que ele usa para despistar possíveis inimigos que tentam achá-lo seguindo suas pegadas pela mata. Ele também emite um som característico, uma espécie de assobio que ecoa pela floresta e ninguém sabe a direção que vem. Seus cabelos são frequentemente descritos como vermelhos ou mesmo feitos de fogo, mas alguns lugares dizem que ele pode ser careca. Seu tamanho também é um mistério, para alguns é alto, forte e até desproporcional, para outros um anão ou possui o corpo de uma criança.


Sua lenda é muito antiga e já era citada pelo padre José de Anchieta em 1560. Naquela época sua luta contra os inimigos da floresta já era reconhecida e era sabido que ele fazia caçadores e lenhadores se perderem na floresta e muitos nunca mais voltavam.


Hoje com certeza o Curupira tem muito mais trabalho, pois além dos pequenos caçadores e lenhadores, tem que proteger a floresta do agronegócio, das madeireiras, dos garimpeiros e outras ameaças bem mais poderosas e difíceis de ludibriar apenas com assobios e pegadas enganosas...


Com certeza a presença do Curupira nas florestas e em nosso imaginário nunca se tornou tão necessária quanto agora. Sua lenda pode ser usada para criar consciência ambiental nas crianças e sua imagem simbólica pode ser usada para nos lembrar que precisamos proteger nossas matas e animais!

© Copyright