Seres Folclóricos


Como já citamos nos textos anteriores, o folclore brasileiro é riquíssimo e varia muito dependendo da região.


E com os seres mitológicos não poderia ser diferente! Dependendo do lugar, o mesmo personagem possui histórias, características e nomes diferentes, é o caso, por exemplo, do Curupira, que pode ter o nome de Caipora, em alguns lugares. Em outros, estes dois seres são diferentes e coexistem. Ou seja, é difícil dizer onde termina uma história e onde outra começa!


Muitos seres são famosos por todo o Brasil, como o próprio Curupira, o Saci e a Iara. Eles possuem belas histórias que vale a pena conhecer em detalhes. Mas temos outros seres, menos famosos e igualmente interessantes como vamos citar abaixo, alguns dos que conhecemos.


Na região sul do país é frequente escutar histórias sobre o Boitatá, que aparece em várias culturas com versões bem diferentes. Mas na versão sulista, ele é uma grande cobra luminosa que defende as matas das pessoas que ameaçam atear fogo.


O Boitatá, às vezes, é confundido com a Boiúna, outra cobra mística, desta vez vinda da região amazônica. A Boiúna é famosa por derrubar canoas e afundar barcos.


Desta região, temos o Mapinguari, ser monstruoso que assusta as pessoas pela floresta. Alguns acreditam que sua origem é tão antiga, que, possivelmente, o mito nasceu do encontro dos homens primitivos com as últimas preguiças gigantes.


A Pisadeira é uma mulher que tira o sono de muita gente! Lenda comum na região sudeste, diz de uma mulher que pisa em nossa barriga enquanto dormimos, nos tirando os movimentos e causando pesadelos terríveis!


O Negrinho do Pastoreio tem matriz africana e é cheia de significado social e político. Retratando como era a vida de muitas crianças escravas, conta o triste fim de um menino que, após ser castigado por seu senhor, se junta a Nossa Senhora. A lenda ganhou viés religioso e muitos tropeiros e boiadeiros, ainda, mantêm o costume de acender velas pelo Negrinho.


No Centro Oeste temos a Mãe de Ouro, protetora de jazidas de ouro. É uma bela mulher, que se alumia durante a noite, distraindo os homens para que eles não encontrem as minas de ouro que ela protege.


O famoso homem do saco ganha o nome de Papa-Figo no nordeste, onde todo menino e menina tem medo de ser levado pelo velho rabugento. Nesta região também é famosa a Cumadre Fulozinha, uma linda mulher protetora das matas ou, em outras ocasiões, uma velha bruxa. Em algumas regiões ela é usada para dar medo às crianças, com a história de que criança malcriada é levada por ela para ajudar a proteger as matas.


E com certeza não para por aí! Tem a lenda do Cavalinho Branco, do Quibungo, do Teiú-Aguá, da Mula sem Cabeça, do Pé de Garrafa…


E você? Conhece alguma lenda que faltou na nossa lista?


© Copyright