São Marçal

Hoje é dia de São Marçal, um dos quatro santos exaltados nas festas juninas, junto com São João, Santo Antônio e São Pedro. É um santo importante na tradição do Maranhão e é festejado nas folias de Boi Bumbá. Mas no restante do Brasil é pouco conhecido e pode até gerar uma dúvida, afinal quem foi São Marçal?

Realmente São Marçal não é um santo muito lembrado e sua história é pouco conhecida. Na verdade ele não foi canonizado pela igreja católica, apesar de ser muito popular no Maranhão. Por isso é muitas vezes considerado como um santo coadjuvante.


Existem muitas histórias e lendas em torno de São Marçal e ele acabou adquirindo um ar místico. Acredita-se que era parente de Santo Estevão e foi um dos 72 discípulos que seguiu Cristo continuamente. Ainda criança foi quem trouxe os cinco pães e os dois peixes no episódio do milagre da multiplicação, também era ele o ajudante no lava-pés durante a última ceia.


Após a ressurreição e ascensão de Jesus, se tornou discípulo de São Pedro que, orientado pelo próprio Cristo em sonho, enviou Marçal para evangelizar na Gália e lhe deu um cajado, símbolo de sua imagem hoje. Dizem que o cajado era milagroso e que, com ele, São Marçal ressuscitou um morto, curou doentes e apagou incêndios. Por isso é considerado protetor dos bombeiros.


Apesar das lendas o colocarem como contemporâneo de Jesus, seu martírio é descrito no século III, junto com São Alpiniano e São Austricliniano, presbíteros de sua diocese.

Sua imagem o apresenta como um bispo, de casula ou capa pluvial, báculo e chapéu de bispo. Outras trazem uma tocha e um anjo ao seu lado. Em referência aos bombeiros, algumas imagens mostram uma casa em chamas embaixo de seus pés.


No Maranhão também é louvado como o Santo do desapego e protetor das marisqueiras, das mulheres das marés e dos povos das águas. Em São Luís há uma rua com o nome do santo, onde no dia 30 de junho vários grupos de bumba meu boi se reúnem em um duelo, fechando as festividades juninas. Dizem que no passado havia neste local um altar em homenagem a São Marçal que foi removido pela Igreja que não o reconhece como santo o que deu então mais fama a ele, que passou a ser visto como o santo renegado ou o santo sem igreja e por isso ainda mais adorado, sendo, inclusive, erguida uma estátua em sua homenagem.


As comemorações para São Marçal tiveram início após a proibição dos grupos de bois seguirem até o centro da cidade, pois os festivos do Boi Bumba eram mal vistos pela elite que considerava o cortejo uma arruaça e uma desordem, além de ser uma cultura ligada aos negros. Assim os grupos passaram a se reunir neste local.


Em meados da década de 1960, houve uma mudança, com a qual veio a permissão para que pudessem brincar o boi em toda a Ilha de São Luís

Hoje a brincadeira é bem vista e apoiada por todo o estado, com turistas de todo o Brasil e até de outras partes do mundo se encontrando na Avenida São Marçal para saudar os cortejos de boi!


https://www.arquidiocesedesaoluis.org/post/s%C3%A3o-mar%C3%A7al-de-limoges-bispo-em-s%C3%A3o-lu%C3%ADs-aquele-que-encerra-a-festan%C3%A7a

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mar%C3%A7al_de_Limoges

https://radios.ebc.com.br/viva-maria/2020/06/marisqueira-celia-das-neves-celebra-sao-marcal-padroeiro-do-povo-das-aguas

https://territoriodobrincar.com.br/biblioteca-cat/olhares-brasil/bumba-meu-boi-sao-marcal/

https://portalintercom.org.br/anais/nacional2019/resumos/R14-1923-1.pdf



© Copyright