São Francisco de Assis


“Apenas um raio de sol é suficiente para afastar várias sombras”


Hoje é dia de São Francisco de Assis, com certeza um dos santos católicos mais famosos e populares.

Conhecido como protetor dos animais e dos pobres, teve uma vida humilde e cheia de sacrifícios.

Francisco nasceu em 1182 na cidade de Assis, na Itália. Filho de um rico comerciante de tecidos, Pedro Bernardone e uma nobre chamada Pia Bourlemont foi batizado com o nome de Giovanni (João) em homenagem a São João Batista de quem a mãe era devota, mas foi rebatizado como nome de Francesco, uma referência do pai aos franceses, a quem atribuía seu sucesso mercante.

Viveu uma vida de luxos e festas até se tornar jovem, demonstrando pouco interesse nos negócios da família ou em estudos. O que gostava mesmo era de se divertir.

Quando tinha por volta de 20 anos, em 1203, resolve mudar sua vida e se tornar cavaleiro. O primeiro passo para isso era se tornar escudeiro de um nobre e ele parte com este objetivo. Mas, durante seu percurso, se depara com a pobreza, encontrando vários mendigos pelo caminho. Francisco começa a se desfazer de seus pertences em um impulso de ajudar o outro.

Ele desiste de sua intenção em se tornar cavaleiro e volta para casa sem a glória que a família esperava e questiona “como pode haver tanta injustiça, tanto luxo ao lado de tanta pobreza?”

Conta-se que, em 1206, em um dia simples, mas muito especial, num momento em que Francisco rezava sozinho na Igreja de São Damião, em Assis, ele sentiu que o crucifixo falava com ele, repetindo por três vezes a frase que ficou famosa: “Francisco, repara minha casa, pois olhas que está em ruínas”. Achando se tratar de uma reforma naquela igreja, vai até sua casa, vende parte do estoque da loja de seu pai e inicia a reforma na capela, onde passou a viver.

Quando seu pai descobriu o ocorrido ficou furioso, foi até a capela e trouxe Francisco de volta para casa onde o acorrentou pelos pés. Mas durante a ausência de seu pai, sua mãe o libertou e ele voltou para a capela. Seu pai mais uma vez foi atrás dele, mas desta vez não o arrastou, mas usou de uma ameaça: ou voltava com ele ou abria mão de sua herança. Francisco não pensou duas vezes, abdicou de tudo que tinha, inclusive as roupas que vestia e, ainda nu, disse ao pai: "você foi meu pai aqui na terra, mas agora posso dizer que meu verdadeiro Pai está no céu".

Após acabar a reforma da capela inicia uma nova reforma na Igreja de São Pedro, quando não estava trabalhando ele mesmo na obra, saia pela cidade pedindo esmolas para pagar as obras.

Em 1208 compreende que a mensagem na verdade não era direcionada à reformas físicas e sim em restaurar a igreja como instituição, acreditando que ela havia se distanciado dos ensinamentos de Jesus e vivia cercada de opulência e luxo. Francisco faz voto de pobreza, passa a peregrinar e fazer sermões pregando a palavra de Jesus. Neste mesmo ano pede autorização ao papa para fundar uma irmandade a ser erigida sobre esses valores

Seus sermões ganham fama e ele passa a ganhar cada vez mais seguidores. Seu estilo de vida, sem nenhum bem, nem mesmo casa ou roupas chamam a atenção e em 1210 tem início a "Ordem dos Irmãos Menores de Assis". Sua ideia era que eles deveriam se sentir os últimos, mesmo em comparação às menores criaturas. Isso demandava desistirem do próprio "eu" em prol da importância do "outro".

A criação da Ordem era um passo muito importante para que a irmandade fosse aprovada pelo papa, pois, caso isso não acontecesse, seriam perseguidos até a morte. Contudo, suas normas eram tão rigorosas que o então papa Inocêncio III as considerou impraticáveis e mandou o religioso e seus companheiros pregarem aos porcos. Foi o que fizeram até retornarem junto ao pontífice cobertos de lama. O perseguidor inflexível dos hereges ficou impressionado e mudou de ideia sobre Francisco, especialmente após sonhar com o peregrino e interpretar isso como um sinal de que o religioso seria importante para a igreja.

Cinco anos depois o Papa Inocêncio III, pelo Concílio de Latrão, reconhece oficialmente a "Ordem dos Franciscanos", designando o Cardeal Ugolino, como o protetor da Ordem. Neste mesmo período Francisco consente que um grupo de monges parta em peregrinação pelo mundo espalhando o sentimento da fé cristã.


Nesta peregrinação alguns monges foram martirizados e mortos por um grupo de muçulmanos de Ceuta, por recusarem sua conversão ao islamismo. Ao saber do ocorrido Francisco embarca então para a Terra Santa, onde é aprisionado. No intuito de converter aquele consta que ele atravessou o campo de batalha, chamando pelo Sultão. Foi então levado até o soberano, Al-Malik Al-Kamil (o rei perfeito), tido como pessoa tolerante e aberta em matéria de religião.Dando-se conta que o Sultão hesitava em se converter, propôs que se submetesse ao julgamento de Deus propondo-lhe uma “ordália” (um desafio): os sacerdotes muçulmanos e entrariam no fogo e ver-se-ia, concluída a prova, qual seria a religião superior. Os “clérigos” muçulmanos rejeitaram a prova por considerarem-na uma loucura. Francisco propôs ao Sultão de enfrentar a prova sozinho. Este último recusou. Francisco demonstra então a magnitude de sua fé, andando sobre brasas. Ficou no espírito do Sultão admiração por Francisco e até mesmo um certo desejo de se converter ao cristianismo. Não o fez temendo reação por parte de seu povo. Ofereceu então, presentes a Francisco que ele não aceitou retornar ao acampamento dos cristãos porque não via em Al-Kamil sinal algum de autêntica piedade.


Tal versão dos fatos foi imortalizada por Dante em alguns versos famosos da Divina Comédia:

Para lá se dirigiu, com sede pelo martírio, para pregar Cristo e seus apóstolos na presença do orgulhoso Sultão.

Encontrando, contudo, um povo difícil de se converter e não querendo ficar inativo, foi recolher alguns frutos no solo da Itália”.

Em 1220, ao voltar para a Itália, Francisco identifica que por pressão de Ugolino foram preconizadas novas condutas, especialmente mais flexíveis quanto ao voto de pobreza. No ano seguinte ele apresenta uma nova regra para a ordem: “Observar o Santo Evangelho, viver da obediência, da castidade e não possuir absolutamente nada, e só dividir a pobreza”, O texto, recusado por Ugolino é submetido a retoques e o papa Honório III aceita, mas muito dos traços que caracterizavam os franciscanos, é perdida

Decepcionado e doente, Francisco de Assis renuncia à direção da irmandade que criara, e em companhia de discípulos vai viver em contato com a natureza, onde se conta que em sua presença, os peixes saltavam da água e os pássaros pousavam em seus ombros. Louvava a Natureza, Sol, a Lua, e a todos como seus irmãos

Didático e com voz calma, Francisco usava diversos recursos, como palavras, símbolos e gestos para transmitir os ensinamentos de Jesus Cristo ao povo. Em 1223, na cidade de Greccio, usou a manjedoura e figuras esculpidas para formar um presépio tal qual conhecemos hoje em uma gruta da região. A ideia surgiu durante uma de suas leituras e, diante da cena, o próprio santo celebrou a missa para o povo


Na última vez que esteve no Alverne, Francisco procurou um lugar ainda mais “solitário e secreto” no qual possa mais reservadamente fazer a quaresma de São Miguel Arcanjo. Na manhã de 17 de setembro de 1224, os céus se abrem e Cristo crucificado desce ao Monte Alverne na forma de um Serafim.

Ele percebe então marcas de sangue nas mãos e pés, como se tivessem sido atravessados por pregos: os estigmas de São Francisco.

Doente, pede que o levem para Assis, onde quer morrer. Assim é feito e assistido pelos discípulos, morre em 3 de outubro de 1226. Dois anos depois de sua morte, é canonizado pelo papa Gregório IX.

Na igreja de São Francisco de Assis, Assis, Itália, inaugurada em 1256, estão guardados os restos mortais do santo.

Hoje, vemos a força do legado de São Francisco, quando Jorge Mario Bergoglio (o papa atual) foi eleito para assumir o posto à frente da igreja, em 2013, optou por ser o primeiro a adotar o nome de Francisco. Apesar de ser jesuíta - e não franciscano - o pontífice considerou o forte exemplo do santo ao homenageá-lo. Durante uma audiência com jornalistas, após ser escolhido o novo líder da Igreja Católica, o papa explicou a opção pelo nome: "Na eleição, eu tinha ao meu lado o arcebispo emérito de São Paulo, um grande amigo. Quando a coisa começou a ficar um pouco perigosa, ele começou a me tranquilizar. E quando os votos chegaram a 2/3, aconteceu o aplauso esperado, pois, afinal, havia sido eleito o Papa. [...] Ele me abraçou, me beijou e disse: 'Não se esqueça dos pobres'. Aquilo entrou na minha cabeça. Imediatamente lembrei de São Francisco de Assis"

Quem não tem em seu cotidiano ou em sua memória alguma referência a Francisco de Assis e seu imenso amor?


ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO


Senhor, fazei-me instrumento da vossa paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor.

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.

Onde houver discórdia, que eu leve a união.

Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.

Onde houver erro, que eu leve a verdade.

Onde houver desespero, que eu leve a esperança.

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei que eu procure mais:

consolar que ser consolado;

compreender que ser compreendido;

amar que ser amado.

Pois é dando que se recebe,

É perdoando que se é perdoado

E é morrendo que se vive para a vida eterna!



Oração a São Francisco de Assis

(Para salvar ou encontrar um animal)

São Francisco misericordioso. Peço ajuda para salvar, ou encontrar, este animal. O nome do bichinho é X. Com a plenitude de tua compaixão, não permita que ele seja cruelmente tratado, nem que permaneça em cativeiro. Peço ajuda a São Francisco, Padroeiro dos animais, que me ajude a salvá-lo (ou encontrá-lo). Em qualquer lugar da terra. Em nome de São Francisco que está presente em toda parte, guia-me com teus olhos, para que possa salvá-lo (ou encontrá-lo). Cuide para que o meu animal esteja a salvo! Que assim seja. Amém.


https://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/especial-publicitario/santa-casa-braganca-paulista/saude-braganca-paulista/noticia/2020/10/04/dia-de-sao-francisco-de-assis-veja-relato-de-fe-e-oracoes.ghtml (em set/21)

https://www.ebiografia.com/sao_francisco_de_assis/ (em set/21)

https://www.santuariodocaraca.com.br/santos-de-devocao/historia-de-sao-francisco-de-assis (em set/21)/

https://franciscanos.org.br/ (em set/21)

https://www.bol.uol.com.br/listas/curiosidades-sobre-sao-francisco-de-assis.htm (em out/21)

© Copyright